Fique por dentro das novidades!

Dieta Após Colocação de Balão Intragástrico

 

Primeiras 24-72 horas

Nesta etapa, a dieta é composta por líquidos que forneçam poucos resíduos e que sejam facilmente digeridos. Tem por objetivo promover repouso gástrico e facilitar a adaptação após a colocação do balão. Evitar gaseificados e usar adoçantes.

Consiste em uma dieta liquidificada e coada.

Os líquidos devem ser consumidos da seguinte forma:

120 ml por hora, sendo 30 a 50 ml a cada 15 minutos, tentando manter-se com um volume diário entre 1500 a 2000 ml, em pequenos goles. Se necessário, utilizar canudo nessas primeiras horas pós-colocação. Devem ser realizadas 8 refeições por dia. Nos intervalos das refeições devem ser ingeridos líquidos.

Líquidos Recomendados: Isotônicos (1 garrafa/dia) , água de coco, chás (com exceção do chá verde, mate, preto e hortelã, uma vez que são irritantes da mucosa gástrica), sucos de frutas (não ácidos), leite desnatado, iogurtes desnatados, gelatinas diets, etc. Sempre dando preferência aos adoçantes.

Obs.: Se houver tolerância, poderão ser realizadas duas refeições “salgadas” ao dia, seguindo a mesma orientação, como exemplo: caldo de legumes com carne, coado ou bem ralo.

 

Dieta Pastosa

Aumentar o intervalo entre as refeições, realizando-as a cada 2 ou 3 horas, com duração de pelo menos 30 minutos cada refeição.

Esta dieta consiste em alimentos pastosos, purês, carne moída ou desfiada, mingaus, papas e pudins.

No máximo devem ser consumidos 250 ml ou 5 colheres de sopa cheias por refeição quando os alimentos forem pastosos, e tudo deve ser ingerido devagar em pequenas porções.

De preferência, evitar ingerir líquidos durante as refeições, eles são permitidos entre elas, mas tudo deve estar baseado na sua tolerância pessoal.

 

 

 

 

LEMBRANDO :

• Optar por alimentos dietéticos, light e integrais.

• Evitar beliscar entre as refeições.

• Evitar carnes gordas e frituras. Prefira grelhados, assados ou alimentos cozidos.

• Evitar doces e açúcar refinado. Usar adoçantes.

• Fracione sempre as refeições no dia e coma devagar. Descanse o garfo sobre o prato, mastigando e saboreando bem os alimentos.

• Ingerir líquidos nos intervados, em média 1500 a 2000 ml ao dia.

 

Informações Importantes

A colocação do balão intragástrico poderá ser realizada tanto em hospital (“Day-Hospital”) como em clínica especializada (“Day-Clinic”).

Alguns sintomas podem ser comuns logo após a colocação do balão como: náusea, vômito, dor abdominal tipo cólica e sensação permanente de plenitude. A resposta quanto a intensidade e duração destes sintomas varia de indivíduo para indivíduo e ocorre principalmente nas primeiras 48 horas pós-colocação.

Dependendo da intensidade destes sintomas poderão ser necessárias medicação intravenosa e/ou internação para hidratação; decisão essa discutida em conjunto com o profissional da equipe, que estará em contato direto e à disposição do paciente para condutas adicionais.

Na consulta clínica pré-colocação do balão, o paciente já terá conhecimento sobre os efeitos colaterais a curto e longo prazo, bem como quanto às complicações mais frequentes. Também já estará orientado quanto às medicações que poderão ser prescritas no tratamento.

A adesão ao tratamento é fundamental. Durante o uso do balão, o paciente deve ter acompanhamento nutricional e médico periódico  obrigatório, geralmente mensal ou durante o tempo de permanência do balão, pois os resultados deste método estão diretamente ligados à adesão ao programa proposto.

– A prática de atividade física melhora muito os resultados e poderá ser realizada normalmente após a 3ª semana da colocação do balão, salvo contra-indicação médica.

– E lembre-se: o balão intragástrico deve ser um promotor de mudanças de hábitos alimentares (reeducação alimentar) e de vida, pois a perda de peso será transitória ou inadequada, caso o paciente não mantenha as mudanças comportamentais que adquiriu durante o tempo de  permanência do balão.

– Atenção: durante a permanência do balão deverá haver a observação constante da coloração azulada ou esverdeada da urina ou vômito (quando presente), isto obriga o paciente a entrar em contato urgente com a equipe médica que o acompanha.

O balão intragástrico funciona como medida coadjuvante ao tratamento clínico da obesidade, devendo estar associado a: dieta hipocalórica orientada, atividade física regular e mudança no hábito alimentar.

 

Share this :

Leave a Comment!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *